31/08/2012

Graça Comum e Graça Especial

Os teólogos como um todo fazem distinção entre Graça Comum e Graça Especial. De forma simples, podemos distinguir entre as duas da seguinte forma:

Graça Comum é aquela ação benévola de Deus que nos permite viver e usufruir deste mundo, e Graça Especial é aquela ação benévola de Deus que garante ao pecador um lugar ao céu.

No decorrer da vida cristã, aprendemos a valorizar a salvação acima de todas as coisas. Essa atitude é nobre, pois não há nada mais digno de nossa gratidão a Deus do que a manifestação de sua Graça Especial na vida de um indivíduo, mas isso não pode nos tornar indiferentes quanto às bênçãos advindas da Graça Comum.


Abaixo uma autentica demonstraçao da graça comum. Classico do Reggae!


Texto: Igreja Presbiteriana Betania

Jesus não quer ministros de cabeça vazia



Nosso Senhor hoje não quer ministros de cabeça vazia, nem de coração vazio; portanto, meus irmãos, encham os potes com água. Estudem bastante, esforcem-se muito, aprendam tudo o que conseguirem, e encham os potes com água. "Ó", alguém dirá, "como esses estudos levarão à conversão de pessoas? A conversão é como o vinho, o estudo que esses jovens aprenderão será como água". Esse alguém tem razão; mas mesmo assim ainda mando os estudantes encher os potes com água, na expectativa de que o Senhor Jesus a transforme em vinho.
 
Ele pode santificar o conhecimento humano e torná-lo útil na exposição do conhecimento de Jesus Cristo. Espero já ter passado a época em que alguém sonhou com a utilidade da ignorância e grosseria para o reino de Cristo. O grande Mestre queria que seus seguidores aprendessem tudo o que pudessem chegar a conhecer, e especialmente conhecer a si mesmos e às Escrituras, a fim de poderem apresentá-lo para proclamar seu evangelho. "Encham os potes com água!".
 

C. H. Spurgeon, in: Os milagres de Jesus, p. 141 (Sermão: "Os potes de água em Caná")

Walter Mcalister - Quem pode pregar na Igreja?


20/08/2012

Aprendendo com I Timóteo

1 Timóteo 5:8

Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.


 
Por Maurício Arruda

Bom, antes de qualquer coisa precisamos definir o que é família para entender o que o apóstolo Paulo quer nos ensinar no verso acima.

Segundo o dicionário, a definição que mais se enquadra em nossos dias é que família é o conjunto de pessoas que vivem na mesma casa ou o conjunto formado por duas pessoas ligadas pelo casamento e pelos seus eventuais descendentes.

Temos uma mania cultural de entender que família são todos os parentes, quando na verdade, não é desta forma que se deve definir família, ou seja, família são os da nossa casa, do mesmo teto, geralmente pai mãe e filhos se houver, os demais, se tornam apenas parentes.

Com isso entendido, o que aprendo aqui com a epístola paulina?

Além do óbvio, que precisamos cuidar da nossa família, e aqui em todos os aspectos, há uma série de ramificações que poderíamos aprender com esta passagem, mas hoje quero focar a leitura e a meditação aplicando-a ao ministério local onde muitos estão inseridos, ou estarão ao longo da sua vida cristã, uma vez chamados, e aqui me refiro a fazer parte de um ministério atuante quer seja diaconato, presbitério, intercessão, musical, zeladoria, etc e não apenas a ser membro de uma congregação embora este ensino sirva para todos.

Como pode alguém querer servir em algum ministério de sua igreja, se este ou esta pessoa não consegue cuidar do seu 1° ministério que é família? Como pode alguém achar que tem fé se o verso diz que o que vive desta forma NEGOU A FÉ E É PIOR QUE O INFIEL?

Infiel? Quem foi infiel com Jesus, ou melhor, qual foi o pior infiel humano bíblico de Cristo segundo as Sagradas Escrituras? Muitos, poderíamos responder aqui, mas o que mais me chama a atenção no ministério de Jesus é o traidor que fez parte dos 12, a saber, Judas Iscariotes.

Não bastasse esta semelhança, a Bíblia diz que o que não cuida da sua família é PIOR QUE O INFIEL. Então como podemos estar no ministério, servindo a Deus desta forma? A resposta é NÃO PODEMOS!

Deus se quer receberá o seu trabalho, é vão, torpe e inútil. Para Deus o mais importante primeiramente é a sua família. Não existe ministério, segundo as Escrituras, de infiéis. Na há a presença ou influência do Espírito Santo em quem se porta de tal maneira e sim de satanás, é duro este sermão, mas encare-o como uma exortação da parte de Deus.

Será que um dos problemas do seu ministério (que na verdade é de Deus), não prosperar não está relacionado à sua família? Será que você tem cuidado dos teus da maneira que a Bíblia ensina? Tem tido tempo com esposa, marido, filhos, irmãos etc, ou você é mais um daqueles que acha que estando 24 horas dentro igreja ou sendo um ativista descomedido tem agradado a Deus?

Na Bíblia sempre encontramos um direcionamento correto para todas as questões que norteiam nossas vidas. A diferença entre o que serve e o que não serve, é facilmente vista na obediência a qual temos aplicado os preceitos Bíblicos em nossas vidas diárias e nas coisas aparentamente mais insignificantes, mas que pra Deus são premissas indispensáveis.

Não seja apenas ouvinte, mas sim praticante.

Deus te abençoe.

05/08/2012

A letra mata? Penso que o que mata é a ignorância...

Por Maurício Arruda

Não foi uma única vez que vi e ouvi pregadores modernos ensinarem a sã Doutrina de forma equivocada e porque não dizer herética. Isso se dá pelo notório despreparo teológico, hermenêutico e exegético destes pregadores.




Os púlpitos estão cada vez mais distantes da verdade bíblica e, consequentemente o ensino, sendo distorcido descaradamente, influenciando toda membresia aos mais estúpidos erros, formando cristãos alienados e meninos inconstantes, conforme dito pelo apóstolo Paulo na carta aos Efésios (Efésios 4:14).


Claro que cada cristão é responsável por sua vida espiritual todavia, o ensino bíblico e a pregação, jamais devem ser postas de forma distorcida, onde são retirados textos fora de contextos e expostos erroneamente.

Certamente aqui, o problema seria muito menor se o brasileiro cristão não fosse um povo analfabeto de bíblia, mas infelizmente o quadro é este; povo que só alimenta de palavra de púlpito, facilmente é levado ao engano.

Desta vez, o então pregador em questão até que estava indo bem expondo de maneira bem simples a importância das Escrituras para uma vida cristã saudável, não fosse pelo infeliz disparate: "A palavra mata!".

Primeiramente, entendo que nem deveria ser falada tal coisa, uma vez que a intenção do pregador era levar o povo à consciência da Palavra de Deus na vida cristã e em segundo lugar, o verso de 2° Coríntios 3:6, jamais significa que a palavra (na verdade a Letra), mata alguém. Isso certamente é uma blasfêmia.

Fica claro no contexto que a "letra" à qual Paulo se refere são os dez mandamentos ou a lei, que foi dada a Israel através de Moisés com o propósito de provar o homem e revelar que ele incapaz de seguir a lei e é aí que entra a Graça de Cristo morrendo em nosso lugar.

Portanto, quando o apóstolo diz que "a letra mata", ele está dizendo que a lei tem o papel de condenar, não pode dar vida. Como poderia este ensino ser verdade se o próprio Jesus disse em João 5:39: Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.

Isto posto, quero me valer novamente das palavras do grande apóstolo em: Tito 1:9-11a:

Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes.
Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão,
Aos quais convém tapar a boca
.

Não seja enganado. Leia as Escrituras, ore!

Deus te abençoe.

02/08/2012

Como conduzir-se a si mesmo na Caminhada Cristã #4

Apesar de Deus ter perdoado e esquecido seus pecados, não os esqueça: lembre-se sempre deles, de como era uma escravo (a) sem esperança na terra do Egito. Traga à memória suas ações de pecado antes de sua conversão, assim como o apóstolo Paulo está sempre mencionando sua antiga atitude de blasfêmia, em que perseguia o Espírito e maltratava o povo de Deus, humilhando seu coração, dizendo ser “o menor dos apóstolos”, indigno de “ser chamado apóstolo”, “menor dos santos” e “o maior dos pecadores”.



Confesse sempre seus pecados a Deus e deixe com que este texto esteja sempre em sua mente: “para que te lembres e te envergonhes, e nunca mais fale a tua boca soberbamente, por causa do teu opróbrio, quando eu te houver perdoado tudo quanto fizeste, diz o SENHOR Deus.” (Ez 16; 63)

Deus te abençoe.

fonte: carta escrita por Jonathan Edwards

Como conduzir-se a si mesmo na Caminhada Cristã #3

Quando ouvir a um sermão, ouça por si mesmo(a). Mesmo que provavelmente o que está sendo pregado seja para não-convertidos ou para aqueles que, de outras maneiras, estão em diferentes circunstâncias que você.

Assim, deixe com que a principal intenção de sua mente seja a ponderação: em quais aspectos isto é aplicável a mim? E em que posso melhorar para o próprio bem de minha alma?

Deus te abençoe.
fonte: carta escrita por Jonathan Edwards
 

Blogger news

Blogroll

About