29/10/2010

Moravianos, Missionários, Jesus e Eu

por Maurício Arruda

Iniciado em Hernhut, Alemanha no século 18, o movimento de oração continua (24 horas) chamado Moravianos durou por quase 100 anos, e eles não oravam por aquilo que não estavam dispostos a ser a resposta.

Dois jovens Moravianos, de 20 anos ouviram sobre uma ilha no Leste da India cujo dono era um Britânico agricultor e ateu, este tinha tomado das florestas da África mais de 2000 pessoas e feito delas seus escravos, essas pessoas iriam viver e morrer sem nunca ouvirem falar de Cristo.

Esses joves fizeram contato com o dono da ilha e perguntaram se poderiam ir para lá como missionários, a resposta do dono foi imediata: " Nenhum pregador e nenhum clerico chegaria a essa ilha para falar sobre essa coisa sem sentido". Então eles voltaram a orar e fizeram uma nova proposta: "E se fossemos a sua ilha como seus escravos para sempre?", o homem disse que aceitaria, mas não pagaria nem mesmo o tranposte deles. Então os jovens usaram o valor de sua propria venda para custiar sua viagem.

No dia que estavam no porto se despedindo do grupo de oração e de suas familias, o choro de todos era intenso, pois sabiam que nunca mais veriam aqueles irmãos tão queridos, quando o navio tomou certa distância eles dois se abraçaram e gritaram suas ultimas palavras que foram ouvidas:

"Que o cordeiro que foi imolado receba a recompensa do seu sofrimento".

Quase 100 anos durou este movimento missionário. Note o coração disposto destes dois jovens, que doaram suas vidas para que outros pudessem conhecer a Jesus Cristo.

Então vem a pergunta: E nós o que temos feito para servir a Deus? E mais, o que temos feito pela causa do evangelho de Jesus? Indo a cultos de domingo a noite? Devolvendo dízimos? Cumprido escalas em ministérios? Seria o bastante?

Esta história me faz lembrar de um dos mandamentos mais importantes da palavra de Deus, "O amor ao próximo". Será que amamos de verdade? Se a resposta for não, o que temos feito para mudar isto dentro de nós? Ou simplesmente ignoramos este mandamento, afinal ele é velho e ultrapassado?

Precisamos diminuir de verdade, e isso é uma escolha consiente e não um choro de domingo a noite. Todos somos missionários: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Mateus 28:19"

Qual tem sido a nossa oferta para Deus? Amamos a Deus de verdadeiramente? Então leia João 14:21 novamente se ainda não leu "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama". Vejamos ainda o que o salmista escreve no Salmos 119 nos versos a saber:

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.
55 Lembrei-me do teu nome, ó SENHOR, de noite, e observei a tua lei.
56 Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos.

É hora de repensar o que temos orado a Deus. Toda transformação passa pelo tratamento de Deus, afim de darmos o fruto devido ao seu tempo, mas é bem verdade que toda árvore infrutífera será cortada e jogada fora. Toda dádiva, todo dom perfeito, toda virtude, toda boa obra, vem dEle.

Somente Deus através do seu Santo Espírito pode tranformá-lo em uma pessoa que O ame.

Ame geral e que Deus nos abençoe.

1 comentários:

  1. legal esse artigo, nao conhecia esse movimento que durou aí 100 anos...

    Abraços

    ResponderExcluir

 

Blogger news

Blogroll

About