28/01/2011

Pedido de Sabedoria

1 Reis 5:12 - Deu, pois, o SENHOR a Salomão sabedoria, como lhe tinha falado; e houve paz entre Hirão e Salomão, e ambos fizeram acordo.





por Pr. Olavo Feijó

Salomão foi o sucessor do rei Davi. Em sonho, quando o Senhor lhe deu a liberdade para pedir o que quisesse, pediu sabedoria para governar com justiça. O Senhor o abençoou: "Eis que fiz segundo as tuas palavras: eis que te dei um coração tão sábio e entendido..." (I Reis 5:12).

O jovem rei poderia ter pedido riquezas, fama, poder. Ao pedir sabedoria, agradou ao Senhor. Por isso, além de receber sabedoria, Salomão recebeu do Senhor todas as outras coisas que fizeram do seu reinado um dos mais respeitados da história.

Falta-nos sabedoria espiritual. Por isso, andamos atrás de tantas coisas coloridas e chamativas, para termos o elogio do mundo. Só que, quanto mais recebemos veneração do mundo, nesta proporção nos afastamos do Senhor. Como cristãos, é essencial que aceitemos a soberania de Cristo, ao afirmar - "o Meu reino não é deste mundo".

O caminho para conseguir sabedoria continua sendo o mesmo trilhado por Salomão: "Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente... e lhe será dada" (Tiago 1:5). O mesmo Tiago diz que "a sabedoria que vem do alto é pura, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade ou hipocrisia". Hoje, é dia de pedir por sabedoria.

26/01/2011

Cinco mitos sobre o inferno - # 5

Mito #5: O Inferno É Para Pessoas Más.





por Joe Thorn

Este é o mais perigoso de todos os mitos sobre o inferno. “O inferno é para pessoas más”. É claro, este é bem complicado, e depende do que nós queremos dizer quando falamos “pessoas más”. Na minha experiência, “pessoas más” simplesmente significa “outras pessoas”. Pessoas que fizeram pior do que nós, pelo menos de acordo com nossa estimativa. O inferno é para os maus, os piores que nós, os piores de todos. O inferno é para Hitler e Sadam Hussain, John Wayne Gacey (assassino em série americano) ou Kim Jong-il.

Não é para nós, pessoas normais. Boas pessoas. O ponto em que nós devemos concordar com este mito é que o inferno é para pessoas más. E todos nós somos “maus”. Jesus disse que ninguém é bom, a não ser Deus (Lucas 18:19). O apóstolo Paulo escreveu que ninguém é justo, todos viraram as costas para Deus e se tornaram inúteis (Romanos 3:10-18).

Sim, nós somos todos maus e merecedores da condenação eterna. Enquanto uma mulher pode ser pior que uma outra em suas práticas, ou o pecado de um homem pode ser mais hediondo do que o pecado de um outro, nós somos todos igualmente pecadores e somos desesperadamente necessitados da misericórdia de Deus.

O inferno é para pessoas más, se por “pessoas más” nós estamos nos referindo a pessoas como nós. Nossa esperança não é que nós vamos nos tornar pessoas boas, ou mesmo pessoas melhores. Nossa confiança diante de Deus não é que nós iremos de alguma forma nos levantar em meio às pessoas más do mundo.

Nossa esperança e confiança diante de Deus é que o evangelho – as boas novas, de que todos os que crêem em Jesus são unidos com ele, considerados justos nele, e perdoados de todo pecado, por meio dele.

Então, em um certo sentido, o inferno é para pessoas más, mas em outro sentido, o céu também é. O primeiro recebe aqueles que rejeitaram a verdade de Deus, enquanto o segundo recebe aqueles que receberam Jesus (João 1:12-13).

Créditos: Ipródigo

Para ver os mitos anteriores acesse: mito # 1, mito # 2, mito # 3, mito # 4

21/01/2011

Cinco mitos sobre o inferno - # 4

Mito #4: O Inferno é a Ausência de Deus.



por Joe Thorn

Você provavelmente já ouviu esse mito também. “O que há de pior a respeito do inferno”, raciocinam algumas pessoas, “é que você está sozinho”. Inferno é isolamento, e já que fomos criados para a comunhão (com Deus e com as outras pessoas) é isso que faz do inferno um julgamento tão terrível.

É claro, a verdade é que não há lugar em que nosso Deus onipresente não esteja (Salmo 139). Não é a ausência de Deus que torna o inferno terrível, é a sua proximidade que o faz. Inferno não é a ausência de Deus, mas a ausência da graça e misericórdia divinas. Ah, sim, Deus está presente no inferno, para fazer perfeita justiça e julgamento.

Nossa confiança no evangelho é que em Cristo nossos pecados foram pagos, e estamos em paz com Deus. Em Cristo temos a verdadeira e duradoura intimidade com Deus para a qual fomos criados.

Portanto, a proximidade de Deus é algo bom (Salmos 73:28) e podemos chegar pra perto de Deus (Tiago 4:8) já que ele está sentado sobre o trono da
graça (Hebreus 4:16) e podemos esperar receber graça, e não julgamento.

Créditos: Ipródigo

Para ver os mitos anteriores acesse: Mito # 1, Mito # 2, Mito # 3

19/01/2011

Cinco mitos sobre o inferno - # 3

por Joe Thorn

Mito #3: O Inferno É Temporário.



Entre aquelas pessoas que levam o inferno um pouco mais a sério, às vezes encontramos o mito que o inferno é temporário, e não eterno. O raciocínio é que o inferno é a punição pelos pecados cometidos durante, no máximo, várias décadas e que a justiça não permitiria uma punição eterna para crimes cometidos ao longo do período de uma vida na terra. Depois que a punição for concluída, seja lá o que a punição divina exigir, ou a pessoa será recebida no céu ou será simplesmente aniquilada.

Mas, as Escrituras são bem claras a respeito da natureza eterna do inferno. É um lugar de destruição eterna (2 Timóteo 1:9), punição eterna (Mateus 25:46) e fogo eterno (Mateus 18:8). Não há um programa de libertação para trabalho nem a esperança de uma liberdade condicional no inferno.

Nós fomos criados como seres imortais e viveremos após a morte na presença de Deus e sua graça, ou experimentando sua justa e correta raiva. Como pecadores incuráveis (2 Pedro 2:14) e habituais (1 João 3:8), nós continuamos em nossos pecados, ilegalidade e idolatria até mesmo no inferno – e assim o julgamento continua.

O inferno é um julgamento eterno, e nossa única esperança de escapar de tal maldição é confiando naquele que se tornou maldição por nós (Gálatas 3:13). Aqueles que são unidos a Jesus são libertos da condenação (Romanos 8:1) e encontram a vida eterna (Mateus 25:46).

créditos: iPródigo

Para ver os mitos anteriores acesse: Mito # 1Mito # 2 

18/01/2011

O que você assiste? Sobre o quê você conversa?

Primeiramente gostaria que o amigo-irmão leitor meditasse neste versículo. Gaste no mínimo 30 segundos, não menos que isso:

"Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes." 1 Coríntios 15:33.




por Maurício Arruda

Bom, não precisa ser tão inteligente para saber que nossa mente grava muito mais o que vemos do que o que ouvimos, e mais ainda aquilo que vemos e ouvimos, lembram do post "O que é discipular", caso não é só acessar o link.

Tudo bem, já que aprendemos isto, também é notório e fácil perceber que a televisão e um agente influenciador direto que trabalha na mente da pessoa, ora para o bem ora para o mal. Um exemplo típico, são os telejornais que quando estampam a notícia, esta certamente será comentada no dia seguinte, seja boa ou ruim, fará parte dos assuntos do dia. Quem de nós nunca ouviu a frase "Você viu tal coisa no telejornal tal ontem?" ou até mesmo não fomos nós os que proferimos a frase?

A partir daí é que começa o problema. A bíblia fala que a boca fala daquilo que o coração está cheio. (Lucas 6:45). Então se assistimos muita televisão, logo estaremos comentando isso e aquilo que assistimos. Mas quantos de nós crêem que este veículo também é uma ferramenta do diabo? Bom... não sei você, e não discutiremos isso, mas eu creio e muito...

Mas nesta postagem, além de meditarmos em alguns versículos, gostaria de publicar algo que li acerca do Big Brother Brasil, já que infelizmente este programa mais uma vez está de volta, entre outros programas que também aboli da minha programação televisiva.

Isso sem falar em novelas, programas sensacionalistas e todos outros que promovem injustiças, sensualidade demasiada, exposição do corpo, descaso com as questões sociais, etc. Leia a matéria abaixo e veja o posicionamento da "Comissão de Direitos Humanos", publicado no ano passado mas que vale muito a pena reler.

Certa vez o então Barão de Itararé, disse uma frase que li há um certo tempo: "A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana." Pergunto: Estaria ele de todo errado? Responda pra você mesmo!

Que o Senhor fale contigo nesta leitura que segue abaixo!


BBB 10 é líder em baixaria, segundo a Comissão de Direitos Humanos

O “Big Brother Brasil 10" foi o programa que mais recebeu denúncias de desrespeito aos direitos humanos na campanha "Quem financia a baixaria é contra a cidadania".

Das 391 denúncias enviadas pelos espectadores e fundamentadas pela comissão, entre agosto de 2009 e abril de 2010, 227 referem-se ao BBB 10. As reclamações foram classificadas como desrespeito à dignidade da pessoa humana, apelo sexual, exposição de pessoas ao ridículo e nudez.

O programa “Pegadinhas Picantes”, do SBT, ficou em segundo lugar no ranking, com 105 denúncias. Entre as reclamações, cenas de nudismo, erotismo, humor grotesco e exposição de pessoas ao ridículo.

Em terceiro ficou o “Pânico na TV”, da Rede TV!. Na sequência estão as atrações regionais “Se liga Bocão”, da Record, e “Bronca na TV”, do SBT, respectivamente.

A campanha "Quem financia a baixaria é contra a cidadania" é realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. As reclamações são feitas no site: http://www.eticanatv.org.br/

Fonte: UOL

Cinco mitos sobre o inferno - # 2



por Joe Thorn

Mito #2: O Inferno É Onde Os Pecadores Se Divertem.

Eu já ouvi esse mito até várias vezes. Ao discutir a salvação do pecado, da morte e do inferno com aqueles distantes do Reino, alguns disseram: “Cara, eu prefiro me divertir no inferno com os meus amigos a ir para o céu vestir aqueles roupões brancos, junto com um monte de pessoas religiosas e reprimidas.”

Obviamente, eu não acredito que isso reflita realmente a teologia de alguém sobre o céu e o inferno. É simplesmente uma reação que revela mais sobre a visão de si mesmos e das pessoas religiosas do que sobre a vida após a morte. É, normalmente, uma maneira de desprezar as afirmações e promessas de Jesus. Mas ela ocorre o suficiente para ser necessário falar sobre ela aqui.

O inferno não é um barzinho confortável e escuro onde você pode ficar com seus amigos, conversando sobre o significado da vida (ou do inferno) pelo resto da eternidade. O inferno também não é algum tipo de rave infinita, ao som de música eletrônica ensurdecedora e decorada com pulseiras reluzentes.

O inferno não é uma festa. O inferno não é o que você quer que ele seja. Jesus descreve o inferno como um lugar de “choro e ranger de dentes” (Mateus 13.36-43). É um obscuro, eterno e sombrio lugar de julgamento (Mateus 25.41).

A Escritura nos diz que todos nós morreremos e iremos enfrentar julgamento (Hebreus 9.27). Como pecadores que transgrediram a Lei de Deus, sabemos que o Juiz nos considerará culpados e nos sentenciará àquele lugar de trevas. Nossa esperança não está em conseguir persuadir o juiz a ver as coisas da nossa maneira, ou nos dar um passe livre. Não há nenhuma esperança de regime condicional ou reabilitação após a morte. Nossa única esperança perante Deus é que ele olhe para nosso advogado, Jesus Cristo, o único que pode apresentar o perdão de pecados e a justiça que não temos.

Apesar de culpados, podemos ser julgados como justo em Jesus, e sermos resgatados do julgamento do inferno e levado à presença de Deus e de seu povo.

créditos: iPródigo

Reveja aqui o mito # 1

17/01/2011

Aprendendo com Mateus 6 - # 1

por Maurício Arruda

Nesta semana iniciaremos um pequeno estudo bíblico. O propósito aqui é meditarmos em alguns capítulos das escrituras sagradas afim de sermos edificados por estes estudos. Para começar, vamos aprender com Mateus 6 que é um verdadeiro manual de algumas atitudes na vida cristã.



Mateus 6

1 Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus.
2 Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.
3 Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita;
4 para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.


Que tamanho é o nosso coração quando o assunto é abençoar o próximo? Muitos de nós talvez digamos: "Eu não tenho como abençoar, não tenho nem pra mim!". Há um grande mal em nossos arraiais que cada vez mais tem se inserido em nossas ações.

O cristão desprovido de conhecimento bíblico e sabedoria, ou influenciado pelo que o mundo impõe de forma veemente, relaciona que o ato de abençoar o próximo, quem quer que seja, diz respeito há coisas, mas nem sempre isto é verdade.

O Senhor é aquele que conhece o homem no íntimo e sonda o coração deste, ou seja, Ele sabe se temos condições ou não para doar algo. Contudo, precisamos ter em mente que abençoar não está diretamente restrito há algo material. Quantas vezes fomos abençoados com palavras encorajadoras, incentivos, abraços ou simplesmente uma palavra proferida?

Recordo-me de uma situação onde num aniversário de uma colega de trabalho, muitos foram os presentes (coisas), que ela ganhou, mas o agradecimento especial dela foi para uma pessoa que estava ali e ela disse assim: "Quero te agradecer pelas palavras de vida que me trouxeste quando mais precisei". Entendemos aqui que nem sempre são as “coisas” que abençoam.

Tendo este conceito em mente, podemos aprender algumas verdades com estes versos. Sempre que abençoarmos alguém, seja com coisas ou não, temos que fazer isto com amor, e jamais esperar algo em troca, e muito menos fazer esta ação para ser notado.

Os olhos do Senhor estão em todos os lugares e se a nossa motivação não for correta, jamais estaremos agradando ao Senhor, ou seja, a pessoa que ocasionalmente está sendo abençoada, não está preocupada com a nossa motivação, mas o Senhor está. Note aqui que quando abençoamos o próximo e temos um coração voluntário, nossa recompensa virá do céu, pois servindo ao próximo estamos adorando a Deus. Ver (1 Coríntios 10:31).

Devemos ainda dizer não a hipocrisia! Não seja hipócrita como muitos de nós, que nem mesmo tem consciência de que agem deste modo. Sempre temos uma maneira sutil de alardear nossas boas ações. Às vezes, não é na hora em que praticamos tal ato, mas na primeira oportunidade não perdemos tempo e já ostentamos o ocorrido, talvez até e somente para os amigos mais próximos.

Note que os que agem assim, já foram sentenciados segundo o final do verso 2. "Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa". Nós quando com o coração puro e que verdadeiramente praticamos a palavra de Deus, ainda não recebemos nossa recompensa, mas permanecemos firmes até este dia.

no verso 3 somos ensinados a sequer lembrarmos destas atitudes, para que elas sejam comuns e não fatos isolados. Todavia, devemos ter a nossa fé em Jesus Cristo e nos seus ensinamentos e jamais esquecer que a fé sem obras é morta. Ver (Tiago 2:26).

Por último e não menos importante, aprendemos que o Senhor está atento às nossas atitudes e práticas cristãs, e certamente nos recompensará segundo a tua promessa, e estes tesouros que praticamos aqui, neste mudo, juntarão nos céus a nossa verdadeira riqueza.

Deus abençoe

Cinco mitos sobre o inferno - # 1

Esta semana publicaremos 5 mitos sobre o inferno que muitos crêem ser verdades absolutas. Veremos que na verdade não passam de mitos e idéias mal formuladas, e o que é pior, não possuem embasamento bíblico. 




por Joe Thorn

Ao longo dos anos eu tenho encontrado diversos mitos sobre o inferno grudados na teologia popular. Alguns são levados mais a sério que outros, mas eles são todos mitos ativos que dão frutos ruins na vida das pessoas. Esta é uma breve correção em cinco partes.

(O símbolo "#" significa "número", para quem não sabia)

Mito #1: O Inferno É Um Lugar Onde Satanás Reina. Muitas pessoas pensam no inferno como um lugar onde o Diabo reina. É visto como sua casa, ou castelo, ou uma bat-caverna em chamas onde ele elabora planos para destruir a igreja e dominar o mundo. Se não for uma sala de guerra, então é um tipo de calabouço onde o Diabo causa miséria àqueles que foram mandados lá para sofrer. (algo mais ou menos assim).

Mas o inferno não é o castelo do diabo, e ele não ocupa nenhuma posição de autoridade lá. O inferno é a ruína do diabo. É a sua futura prisão eterna e lugar de julgamento (Apocalipse 20:10).

Eu acho que um dos motivos por que as pessoas guardam essa idéia do diabo dominando o inferno é porque, se ele está no inferno ele não está em nenhum lugar perto de nós. Então, pelo menos na mente dessas pessoas, isso o remove de qualquer lugar de influência ou perigo. Ele não está aqui, ele está lá, então nós não precisamos que pensar muito nele afinal. Mas o diabo está aqui. Ele é um perigo muito real e presente. Pedro diz que o Diabo perambula por nossas cidades, subúrbios e áreas rurais procurando gente para devorar (1 Pedro 5:8). Ele não reina no inferno, mas ele de fato procura reinar sobre você e arruiná-lo.

Em tudo isso, nossa esperança e confiança no evangelho é que o diabo foi lançado fora (Lucas 10:17-20) e amarrado (Mateus 12:22-29) por meio do ministério de Jesus, ele é destruído pela obra de Cristo na cruz (Hebreus 2:14-15), e a igreja foi liberta da escravidão e do engano do diabo e acabará por esmagar o enganador sob seus pés (Romanos 16:20). O diabo foi derrotado, mas está esperando seu julgamento final. O inferno é o fim dele, não sua fortaleza.

créditos: iPródigo

12/01/2011

Louvor e Adoração - O quê significa pra você?



Por Maurício Arruda

Como você define louvor e adoração? O que estas duas palavras significam pra você? Quando você ouve estas palavras, a primeira impressão que vêm a sua mente é música ou outra coisa?

Hoje vamos falar acerca destas duas palavras e entendê-las melhor para não vivermos de forma equivocada.

Louvor está relacionado a elogio. Podemos louvar a Deus com canções e com as frases que proferimos acerca da pessoa, atributos e qualidades de Deus, a exemplo de aleluia, Deus santo, Deus Poderoso, glórias a Deus, etc.

Louvor é da boca pra fora e adoração é da boca pra dentro. São coisas totalmente distintas. Adoração é um estilo de vida, é a forma como vivemos. Em João lemos:

João 4

23- Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
24- Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

Adorar a Deus em espírito - Onde é? Do lado de dentro, no interior! E hora é agora, hoje. E sempre em verdade.

A boca fala daquilo que o coração está cheio, (Mateus 12:34b). Ou seja, todas nossas atitudes devem ser feitas para Deus (Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. 1 Coríntios 10:31).

Vai trabalhar, faça para glória de Deus, vai passear, vai comer, vai namorar, vai cantar etc. Isso é adoração! Mas note que tudo isso é feito do lado de fora, externamente, contudo, para que isto aconteça, devemos estar com a motivação correta e o desejo certo dentro de nós, em espírito.

Muitos ministérios hoje criaram escolas de adoração, conferências e congressos sobre o tema "Louvor e Adoração". Mas é muito importante saber o que está sendo ensinado nestas escolas, conferências e congressos. Muitos entendem e associam louvor e adoração como algo voltado apenas para os cultos da igreja, ou seja, todo conteúdo que é ensinado faz menção às práticas realizadas nos cultos, e adoração e louvor jamais devem ser limitados há este lugares, seria uma grande tolice pensar desta forma.

Aprender a adorar é aprender a viver do jeito que Jesus viveu. Se isto for o que está sendo ensinado, está muito bom, mas perceba que este é o papel da igreja. Toda pregação, todo sermão, todo ensino bíblico ou todo livro cristão, é para ensinar a vivermos do jeito que Jesus viveu.

Creio que os assuntos técnicos, postura e até os problemas enfrentados por equipes que ministram o louvor com canções, tem sua relevância e certamente são assuntos que podem ser discutidos e até mesmo ensinados por ministros mais antigos e experientes, todavia, afirmo que aprender a adorar é aprender a viver do jeito que Jesus viveu.

Deve-se também tomar cuidado com os rótulos. Existem algumas pessoas que fazem questão de serem chamados (as) de "levita", pois compõem a equipe de ministros responsáveis pela música da igreja. Não tenho nada contra o termo, embora biblicamente falando, os levitas eram as pessoas que auxiliavam o sacerdote no seu ministério lá no templo de Israel e faziam parte da tribo de Levi, e entre estes, havia alguns que cantavam que foram os que Davi instituiu.

Muitas vezes o termo levita, traz divisão na igreja entre este e aquele ministério, e até mesmo soberba em alguns que fazem parte deste ministério musical. Rótulos, quando usados de forma pretensiosa, produzem riscos como departamentalizações descabidas, e fazem estas pessoas, as quais se rotulam, sentirem-se super-especiais, o que nada tem haver com o Reino de Deus. Contudo, devemos lembrar que adorar e louvar a Deus é para todo cristão. O salmista assim escreveu: Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR. Salmos 150:6.

Adoração é o jeito que vivemos e o louvor é o resultado disso. É a forma como expressamos nossa gratidão a Deus, segundo o jeito que vivemos. É também reconhecer sua santidade, sua exclusividade, bondade, misericórdia, graça e amor.

Fazemos isso cantando, escrevendo, falando, criando peças teatrais, dançando, etc. Todos nós podemos fazer estas coisas. É claro que existem pessoas mais talentosas que outras, por isso usamos nossos melhores dons para presentear a Deus e servi-lo em ministérios, onde cada um desenvolve um trabalho naquilo que melhor sabe fazer, e com convicção é chamado para o ofício na casa de Deus. Não somos especiais e nem melhores por isso, isso é graça de Deus.

Logo, ser cristão é ser um Adorador! Quando aprendemos adorar a Deus, tudo em nossa vida faz sentido.

Deus abençoe.


Créditos: Irmaos.com, publicado e criticado aqui no Cristão Sim Alienado Não

10/01/2011

Vai ter com a Formiga - Provérbios 6:6






Cuidado com o que se fala! Você pode se dar mal.



Até que se prove ao contrário a decisão tomada é esta que segue abaixo. Quantos de nós já ouvimos falar que a Xuxa e outras famosas e famosos, fizeram pactos satânicos? Se fizeram ou não é outra questão, mas veja na matéria abaixo o que aconteceu com a IURD por divulgar o tal pacto da apresentadora.

A apresentadora Xuxa receberá R$ 150 mil reais de indenização por dano moral da Editora Gráfica Universal. O jornal Folha Universal foi punido por publicar uma matéria afirmando que a apresentadora é satanista e que teria vendido sua alma ao demônio por U$$ 100 milhões, em agosto de 2008. O caso foi julgado pela 6º Vara Cível da Barra da Tijuca e ainda cabe recurso.

Os advogados de Xuxa alegaram que a apresentadora tem uma imagem pública a zelar, principalmente no meio infantil, e que a publicação causou danos morais. A editora se defendeu argumentando que tem direito de informar e que não o fez com abuso, já que os fatos mencionados na reportagem teriam sido publicados anteriormente por outros veículos.

A juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro considera que a reportagem não traz nenhuma informação e, sim, especulações. E que Xuxa não teve a oportunidade de ser ouvida a respeito das hipóteses levantadas na matéria.

A Editora Gráfica Universal foi condenada também a publicar, na primeira página da próxima edição após julgamento da ação, a seguinte manchete: "Em desmentido da publicação do exemplar 855 de 24 de agosto de 2008, Maria da Graça Xuxa Meneghel afirma que tem profunda fé em Deus e respeita todas as religiões".

Fonte: Yahoo

09/01/2011

Que tipo de leitura faz sua cabeça?

Por Maurício Arruda

Se é que lemos, em que tipo de leitura temos investido nosso tempo? Fico impressionado com a tendência como os cristãos, na maioria, neopentecostais, tem demonstrado quando o assunto é leitura. Quero dizer com isso, que infelizmente, a bíblia não é o livro mais lido, embora ainda ocupe o posto de mais vendido. Estima-se que até hoje já tenham sido vendidos 11 milhões de exemplares da versão integral, 12 milhões de novos testamentos e 400 milhões de brochuras com fragmentos dos textos originais.

Pasme o leitor, os temas que mais atraem os cristãos, especificamente os que podemos chamar de novos cristãos ou neopentecostais, são os livros onde os temas menos tratam acerca do conhecimento de Deus. A preferência hoje, está nos livros que de algum modo explanam as facetas do diabo. Temas como "satanismo", "demonismo", "quebra de maldições", entre outros destes gêneros, são vistos comummente nas mãos destes leitores.

Não quero entrar no mérito de qual tipo de leitura é melhor ou pior para o cristão, contudo, percebo que esta tendência é absurdamente maior quanto à leitura do Evangelho. Creio ainda que a fé e no que cremos, é algo peculiar, mas certamente o nosso tempo e dedicação à palavra deveria ocupar o topo de nossas leituras. É notório o fascínio que os cristãos investem neste tipo de leitura, o que é inversamente triste em constatar que o mesmo apreço não se faz com a palavra de Deus.

O pior acontece, quando por conta destas leituras e o descaso para com a bíblia, surjam as heresias, as fantasias na mente, a fé superficial e rasa e até mesmo as contradições e conflitos na vida com Deus. Quantas vezes ouvi coisas que sequer são dignas de serem pronunciadas ou escritas, de pessoas que vivem um cristianismo irresponsável, levando-os a frustrações profundas, pois desconhecem as Escrituras, logo, não vivem a plenitude de Cristo e o amor escandaloso do Pai.

Prefiro me valer das palavras de Lucas em Atos 17:11 "Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim".

Creio que o ideal é viver a vida cristã fundamentando-a na palavra de Deus. A bíblia jamais, para o cristão, seja o neopentocostal ou um "assembleiano" tradicional, ser um livro secundário. A bíblia nos livra do engano, das heresias, das pregações infundadas e certamente dos equívocos causados por leituras dos gêneros diversos. Invista tempo no conhecimento de Deus. "Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR Oséias 6:3a."

Para finalizar reflita nas palavras de Provérbios.

Provérbios 2

1- Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos;
2- Para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento;
3- Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz;
4- Se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares;
5- Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus;
6- Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento;
7- Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade.

Deus abençoe.

10 coisas que um cristão NÃO deve fazer em um ônibus



Créditos: Profetirando

06/01/2011

O que é discipular?


O que é discipular?

1. É manter um relacionamento onde há transferência de valores.
2. É Transferir: ATITUDES, HABILIDADES, OBJETIVOS.
3. Discipular é o exercício de fortalecer os seguidores de Cristo.

O Discipulado é o trabalho conjunto de 3 figuras:

Cristo, O Edificador: “E Eu edificarei a minha igreja”...“Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome estarei no meio deles”

O Discípulo: O Discípulo é alguém que deseja ser um imitador de Cristo.

Discipulador: é alguém que se compromete a cuidar, ensinar, fortalecer uma pessoa, até que Cristo seja formado nela.

Características de um discipulador aprovado:

Estilo de vida exemplar;
Vida de oração;
Disponibilidade;
Manejo da bíblia;
Cheios de fé;
Cheios de bondade;
Confiáveis;
Coração de servo.

Jesus: O Mestre dos Discipuladores:

1. Jesus ensinava por meio de exemplo Pessoal.
2. Os discípulos aprendiam com experiências em comum.
3. Jesus sempre providenciava um momento de ensino.
4. Os discípulos aprendiam uns com os outros.

As 4 Fases do Discipulado

1ª Fase: a familiarização entre Discipulador e Discípulo.
2ª Fase: os conflito de valores, prioridades e práticas.
3ª Fase: a comunhão no amor de Cristo.
4ª Fase: o trabalho em conjunto entre Discipulador e Discípulo para alcançar outros para Cristo.

Processo de Aprendizagem

Nós Guardamos:

10% do que lemos
20% do que ouvimos
30% do que vemos
50% do que vemos e ouvimos
70% do que discutimos
80% do que experimentamos
95% do que ensinamos

Seis Verbos conjugados pelo Discipulador:

1. Ouvir
2. Interceder
3. Ensinar
4. Formar
5. Marcar o passo
6. Integrar

4 Erros a serem evitados

ERRO 1: Ignorar o que está sendo dito.
ERRO 2: Pensar na resposta enquanto ouve.
ERRO 3: Dar a impressão de estar ouvindo, mas desligar-se da conversa.
ERRO 4: Filtrar somente o que interessa ouvir.

OUVIR - (Tiago 1:19)

Três Maneiras eficazes de ouvir:

Escuta Intencional Ativa

1. necessidades
2. medos
3. alegrias
4. convicções

Escuta com Aceitação

- perceba os detalhes importantes
- observe emoções nas palavras
- não julgue ou condene enquanto ouve

Posturas de Escuta

Ouvir com o Corpo todo

55% da expressão de sua escuta vem da postura do corpo.
38% vem da expressão vocal.
7% vem das palavras que você usa.

Interceder

1. Interceder é estar entre Deus e seu Discípulo.
2. Interceder é representar o Discípulo perante Deus.
3. Interceder é representar Deus perante o seu Discípulo.

Ensinar

1. Ensinar não é somente informar.
2. Ensinar é transformar valores.
3. Ensinar é modificar as prioridades.
4. Ensinar é determinar uma nova prática na vida do Discípulo.

Formar

1. Dar forma ao Discípulo através da sua própria vida.
2. Formar é fazer primeiro, obedecer primeiro, é servir primeiro.
3. Ser o exemplo não significar ser perfeito, mas disposição intensa de seguir a Cristo.

Marcar o Passo

1. Discipulado não é uma prova de velocidade... mas de resistência.
2. Marcar o passo das lições
3. Marcar o passo da oração
4. Marcar o passo do testemunho

Integrar

1. Seu trabalho é ampliar o "oikos" (que significa casa, lugar onde se vive, espaço onde se desenvolve a vida), do seu Discípulo.
2. É desaconselhável ter um relacio-namento exclusivo com seu Discípulo.
3. A diversidade de relacionamentos enriquece a vida de seu Discípulo.
4. É importante conhecer o oikos do Discípulo para evitar eventuais hostilidades.
5. Faça uma visita para o oikos do seu Discípulo - construa algumas pontes.
6. Descubra as Pessoas-Chave na vida do Discípulo e suas influências.

Discipulador e a Edificação

1. Identifique as emoções expressas pelo seu Discípulo.
2. Identifique a necessidade sentida e a necessidade real do Discípulo.
3. Confronte em amor o comportamento ou prática contrária ao Evangelho.
4. Na solução de um problema, procure a opção que dará maior glória a Deus.
5. Ofereça informações que ajude o seu discípulo a tomar a melhor decisão.
6. Encoraje seu Discípulo a mudar seus paradigmas.
7. Torne logo de início seu Discípulo um auxiliar de edificação.

Planejando o Encontro

1. Comece fazendo oração pelo discípulo e pelo encontro.
2. Escreva o que Deus lhe falou no ‘quarto de escuta’.
3. Estude cuidadosamente a lição e evite a impressão de que não se preparou.
4. Anote detalhes do encontro.

Os Dez Mandamentos de Discipulador

1º Ouça!

É preciso ouvir ao Espírito Santo;
É preciso ouvir o Discípulo;
Faça perguntas até que entenda o problema;
Observe a ‘dança das emoções’.

2º Prefira o Esclarecimento ao Conselho.

O esclarecimento ajuda o Discípulo a tomar ele mesmo a decisão.
O conselho impõe a decisão.
O esclarecimento encoraja - o conselho diz: - Você não pode decidir sozinho!

3º Não resolva os problemas do seu Discípulo

É um risco assumir responsabilidades pelos problemas do Discípulo.
Isso o fará transferir para o Discipulador toda a carga do problema.
A melhor ajuda será sua oração, seu tempo, sabedoria e amor.

4º Não faça crítica ou juízo antes que os novos valores tenham sido adotados.

É necessário criar um ambiente de segurança para o Discípulo.
Somente a tristeza de Deus produz verdadeiro arrependimento.

5º Mostre ao seu Discípulo a importância de descobrir e experimentar a vontade de Deus.

Entre a situação atual e a situação ideal é necessário obedecer a vontade de Deus.

6º Evite salvar o Discípulo de sua própria estupidez.

Vitimas legítimas devem ser alvo do amor, compaixão e apoio.
A insensatez acarreta consequências.
É preciso saber quando se deve resolver o problema, e quando se deve apenas apoiar durante o problema.

7º Não Empreste dinheiro diretamente ao seu Discípulo

O empréstimo direto provoca a sensação de dívida para com o Discipulador.
Se precisar fazê-lo, dê anonimamente ou acione a CÉLULA.

8º Seja paciente quando encontrar comportamentos negativos repetidos.

As vezes, o próprio Discípulo não conhece as causas de suas atitudes.
É preciso esperar até que Deus revele as raízes do problema.
Paciência é fonte de esperança para o seu Discípulo

Seja perseverante!

9º Identifique a Síndrome do ‘Disco Furado’.

Há pessoas que contam sempre a mesma estória à célula, exaurindo o ânimo dos seus membros.
É preciso mostrar a situação em amor.
Confrontar em amor é melhor do que ignorar.

10º Seja criativo no uso de ferramentas para um discipulado eficaz.

Use livros, filmes, cassetes, livros, jornais, etc.

04/01/2011

Comunhão e compromisso

Uma das formas de discipular é ouvir a pessoa, deixar que ela exponha suas dúvidas e conduzí-la a superar suas impossibilidades e barreiras através de Jesus.



O discipulado sempre foi uma excelente ferramenta usada pela Igreja, desde seus primórdios nos tempos apostólicos, para implantar valores e mandamentos de Deus no coração dos homens. Isso tem sido feito pela defesa de princípios e da observância de um estilo de vida segundo Jesus, mostrado na Palavra do Senhor. Todavia, alguns pontos diferem o discipulado cristão do ensino que temos hoje na maioria das igrejas que montam classes bíblicas.

Enquanto que, nos bancos de Escola Dominical, prevalece o modelo “aluno-professor” e o que vale é a transmissão da informação. O discipulado é um processo individual, pessoa por pessoa. Muito mais do que um estudo bíblico, o discipulado busca a formação do indivíduo e a construção de um estilo de vida encontrado na Palavra de Deus.

Uma das formas de discipular uma pessoa é ouvi-la, deixar que ela exponha suas dúvidas e devaneios, conduzindo-a de modo prático, e não didático, a superar suas impossibilidades e barreiras, abraçando um novo estilo de vida.

Mas discipulado não é algo que se faz em algumas visitas ou reuniões com o discípulo; antes, é um processo cuja eficácia atravessa diversas etapas – mudança de valores, aprendizado, crescimento e prática – que o novo discípulo deve atravessar.

O discipulado gera comunhão, tanto na vida do discípulo, como na do discipulador. E nesta interação, comunhão e compromisso são elementos fundamentais para o crescimento espiritual.

O discipulado é um estilo de vida que só pode ser aprendido e praticado por aqueles que se entregam plenamente a sua prática e se dão liberdade de passar mais tempo juntos, mostrando um ao outro suas qualidades advindas da comunhão com Cristo, e superando seus defeitos ou inabilidades que ainda precisam ser trabalhados pelas mãos do supremo oleiro.

Logo, discipular é andar junto, partilhar tanto as alegrias como as tristezas, as dificuldades como as vitórias; é ser transparente nos relacionamentos. Discipular é viver de modo digno de Deus, de forma que o discípulo possa imitar o discipulador, sabendo que este é, por sua vez, um imitador de Cristo.

Antonísio de Oliveira Morais - Pastor da Assembléia de Deus do Bom Retiro, em São Paulo.


Fonte: Bom líder

A cobiça do poder



Existe uma categoria existencial que afeta todos, Deus, anjos e humanos: o poder. Poder é quase que uma entidade autônoma do universo – não se preocupe, ainda não sucumbi ao dualismo.

Aqueles que experimentaram poder, sabem de sua capacidade de agarrar-se a nós como os vermes que roem os corpos dos pássaros, e não os largam nem depois de mortos.

O poder controla os atos de qualquer um, sem deixar que se perceba como seus fios fazem as pessoas dançarem como marionetes, no palco do absurdo. A conquista do poder embriaga o vassalo e o rei, a cortesã e o cardeal, o general e o catador de lixo. Como regulador das relações humanas, poder encanta como uma serpente faminta.

O poder promete dar opção, controle sobre as decisões. Ele diz que os fortes fazem sua vontade prevalecer. Os poderosos acreditam viver sem temores, eles acham que não caminharão pela vida como o cervo que passeia pela relva, sempre amedrontado com o vento que traz o cheiro do tigre que lhe espreita.

Com o poder vem a promessa de autonomia. O mais capaz não teria carências, mas desdenha dos que vivem das migalhas que sobram de sua mesa. Ele sente que domina, e não conhece timidez; ninguém tem direitos sobre sua vida, já que não deixa que lhe coloquem cabrestos.

Em todo universo apenas um tem todo poder: Deus. Os anjos e suas hostes, os humanos e seus descendentes imaginam como seria fantástico se um dia pudessem se tornar deuses, onipotentes.

Essa é marcha dos vivos. Todos querem, de qualquer maneira, conquistar, ganhar, herdar a capacidade de serem iguais a Deus. Invejamos a sorte d’Ele, que não tem a quem prestar contas. Seríamos felizes, nos convencemos, se pudéssemos agir, e controlar todas as variáveis.

Vamos à igreja, acumulamos riquezas, narcotizamos nossa mente, organizamos instituições, atropelamos outras pessoas querendo, pelo menos sentir que dominamos algo ou alguém.

A religião promete a possibilidade de se retirar os percalços da vida, dominar as doenças e nunca enfrentar tribulações. Cultuamos a Deus, porque no fundo, no fundo, invejamos sua sorte de viver sem acidentes. Queremos ficar perto dele para, quem sabe, podermos nos tornar mestres do grande xadrez existencial, conhecendo todas as possíveis jogadas; sem jamais sermos surpreendidos por algum lance inédito.

Acontece que o Deus bíblico, revelado em Jesus de Nazaré, tendo todo o poder, jamais foi sequer tentado por ele. O mais interessante é que anjos cobiçaram poder e se tornaram em demônios; homens correram atrás do poder e se tornaram pecadores; e Deus revelou través de Jesus que nunca desejou relacionar-se ou governar seu universo valendo-se dessa categoria.

A mensagem é nítida: se cobiçamos ser iguais a Deus, devemos abrir mão do poder, como fez Jesus Cristo. Se queremos relacionamentos verdadeiros, temos que escolher a senda do Calvário; levar as cargas do próximo, perdoar e amar incondicionalmente.

Soli Deo Gloria.


Texto: Ricardo Gondim pastor da Assembléia de Deus Betesda

Mente preguiçosa gera imaturidade



“Quanto a isso, temos muito que dizer coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. ” (Hebreus 5.11)

O Livro de Hebreus é um dos meus preferidos no Novo Testamento por se tratar de um livro de ensinamentos essenciais para o embasamento de nossa fé, em vários aspectos que fazem ligação do Antigo Testamento com o Novo Testamento.

No trecho do capítulo 5:11-14, o autor fala que não tem condições de continuar falando do assunto em pauta, pois são “coisas difíceis de explicar” e que não havia interesse deles nem capacidade para entender tal assunto.

A justificativa do autor é que seus ouvintes não haviam progredido no conhecimento de Cristo de maneira deliberada tornando-se “lentos parta aprender”. A frase significa não que eles diminuíram a velocidade do aprendizado, mas que se tornaram preguiçosos para aprender.

A consequência dessa atitude é que eles eram imaturos e não estavam em condições de ouvir e interpretar os aspectos espirituais do ensinamento bíblico.

Tenho me deparado constantemente com pessoas que repetem a atitude dos leitores primários de Hebreus ainda hoje. Pessoas que já contabilizam vários anos de fé e envolvimento na igreja, mas que parecem meninos nas emoções e no caráter. Pessoas que não conseguem ser contrariados ou exortados que logo reagem com reclamações ou atitudes evasivas.

O mesmo Texto, contudo, também dá a receita para que isso não aconteça. No verso 14, diz que os “adultos” comem “alimentos sólidos” e que, pelo exercício constante (dos princípios “elementares” da Palavra), tornam-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal. Os que assim agem de maneira deliberada o fazem! A maturidade é para os crentes, mas alguns só querem alimentar-se de “leite” por toda a vida.

A maturidade é para os que desejam ser frutíferos e não para aqueles que só desejam ser alimentados. Não sejamos imaturos nem resistentes em crescer!

“Deixemos os ensinos elementares a respeito de Cristo e avancemos para a maturidade” (Hb 6.1 ).

Fonte:Pr. Paulo Lomba, no Bom líder, via Cristão Sim Alienado Não 

03/01/2011

Heresias – Como Combatê-las?

Por Maurício Arruda

Texto básico: 2 Pedro 2:1

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.

Sabemos que os que praticam heresias terão sobre si as conseqüências dos seus atos, mas a pergunta é: Como nós cristãos podemos combater as heresias? Primeiramente precisamos definir heresia.

Heresia pode ser definida como falsa doutrina; ensinamento enganoso; blasfêmia. Em particular, isto se refere a grupos dentro do Cristianismo que ignoram alguns de seus elementos básicos - tal como a idéia de que Jesus Cristo foi divino.

Podemos citar como exemplo os saduceus, que eram uma seita dentro do judaísmo (Atos 5:17), assim como eram os fariseus (Atos15:5).

Agora que aprendemos o que é heresia podemos ir para o tema principal desta postagem que é: Como combater as heresias? Em nosso último post falamos da importância da leitura como fonte de conhecimento e hoje, a resposta para este questionamento está diretamente relacionado à leitura.

Somente se conhecermos profundamente as Escrituras, poderemos evitar os enganos que hoje são pregados em púlpitos, estudos, cursos teológicos, etc. Hoje à tarde ao ouvir um debate acerca de como é a vida de um pastor, o entrevistado em questão, pastor há mais de 20 anos, disse que sua mãe assistia há um programa de televisão, certamente um canal evangélico, e comentou com ele: “Filho este pastor aí está falando bobagens, eu conheço a bíblia e está história está mal contada.”

A bíblia nos garante a autenticidade do que está sendo dito, aliás, creio que devemos examinar nas escrituras tudo o que ouvimos. Veja o que está escrito em Atos 17:11: 

Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.

Não se pode digerir goela abaixo o que se ouve sem examinar as escrituras ou conhecê-la profundamente. O acesso às Escrituras é gratuito e se lhe faltar entendimento acerca de certo tema, procure algum líder de sua igreja que possa lhe instruir.

Não se engane! Combata as heresias com a palavra de Deus e ore constantemente para que o Espírito Santo possa lhe revelar as verdades do Evangelho.

João 14:26

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

No mais tudo na Santa Paz.

Deus abençoe.

02/01/2011

2011 - O Ano da Leitura!



Por Maurício Arruda


Tenho notado algo em boa parte dos cristãos que conheço que me inspira a escrever este post e deixar uma boa dica para o ano corrente. Sei que o ano de 2011 acabou de sair do forno, mas a hora é essa! Não vamos perder tempo para fazer algo de bom acontecer não é mesmo?!

O que notei e noto em boa parte dos "crentes", é a superficialidade no que se refere ao conhecimento das escrituras, em outras palavras: "a galera não lê a bíblia!!!"

O problema seria menor, a nível cultural, se isto fosse apenas concernente a bíblia, mas não, o hábito de ler, sobretudo do povo de Deus, é considerado muito baixo. Nossa cultura e gosto pela leitura devem crescer e muito, para que os resultados da prática cristã mudem radicalmente, pois apenas desta forma a estatística dos cristãos alienados reduzirá consideravelmente. Quando se tem o hábito de ler, a fé se torna mais sólida, o entendimento mais claro e as fantasias que são criadas na mente, dão lugar a maturidade espiritual. Longe de querer racionalizar a fé cristã, creio que a leitura contribui até na formação do caráter, quer seja religioso ou moral.

Meu incentivo e desejo para 2010 são para que cada um de nós leia assiduamente a bíblia, os livros cristãos, devocionais, sites, blog, etc. Longe dos chavões denominacionais de "ano disso e daquilo", desejo que este ano seja o ano da leitura bíblica.

Vou deixar dois pequenos artigos que falam do hábito de ler e seus reflexos para que sirva de inspiração aos que vão viver um ano de crescimento e de conhecimento. Desta forma haverá mudança e muitos dos assuntos que hoje são desconhecidos por muitos cristãos, poderão ser considerados inerentes.

Primeiro:

O hábito de leitura de Francis Asbury

Em comemoração ao dia mundial do livro gostaria de apresentá-los um leitor voraz. Seu nome é Francis Asbury, considerado "pai do metodismo americano". Este notável cristão, foi responsável pela conversão de milhares de pessoas. Um de seus biógrafos, Wesley Duewel, afirma que quando Asbury chegou da Inglaterra aos Estados Unidos, comissionado por John Wesley no ano de 1784, existiam 1.160 cristãos metodistas, quando morreu 214 mil professavam a fé em Cristo. E para tanto, estima-se que tenha pregado cerca de 17 mil sermões e ordenado mais de 3 mil pastores. Nada mal, hein?

Impressionamente também era seu hábito de leitura. Tinha o costume de ler 60 .000 páginas por ano (imagine que um livro comum tem em média 300 pg.). E se você está imaginando que o camarada Asbury não tinha nada para fazer, então fique sabendo que lia todo esse calhamaço no lombo de um cavalo, enquanto viajava por todo o solo americano (e não era turismo). Na verdade, o segredo estava na sua disciplina. Asbury seguiu a risca a tarefa de ler ao menos 100 páginas por dia e isto tudo há 200 anos atrás, quando não havia as conveniências modernas que desfrutamos hoje.

A rotina de Asbury era impressionante. Durante toda vida ele observou um cronograma rígido, assim como também aconselhou seus pregadores itinerantes a fazer o mesmo. Aprendeu com Wesley. A rotina era assim:

1- Acordar as 4 da manhã, todos os dias;
2- Orar das 4 às cinco e novamente a tarde, das cinco às seis;
3- Ler todos as manhãs, das seis até o meio-dia, como uma hora para o café da manhã, alimentando a mente e a alma com a Bíblia e com bons livros.

E aí, vai encarar?

Rick Nañes, doutor em teologia, fez uma bela análise do hábito de leitura dos proeminentes cristãos do passado. E chega a uma conclusão interessante:

"Não é coincidência o fato de que os mais proeminentes líderes cristãos do passado, os quais auxiliaram a reavivar, revigorar e reformar a igreja errante, foram leitores vorazes. Eles não apenas leram como também expressaram sua convicção de que a leitura é o caminho para ampliar a mente, exercitar o intelecto e focalizar melhor a imagem que se tem da realidade".

*****

Duewel, Wesley. Heróis da vida cristã. p.11-22
Nañez, Rick. Pentecostal de coração e mente. p. 343

Segundo:

O desprezo pela leitura faz mal - John Trembath

O que tem prejudicado a sua vida no passado e, lamento dizer, até hoje, é a sua negligência quanto à leitura. Negligência tal que, por sua vez, chega a prejudicar até o próprio desejo de ler.

Dificilmente me recordo de um pregador que leia tão pouco. Eis a razão porque seu talento em pregar não aumenta. Você continua pregando como pregava há sete anos; com emoção, porém sem profundidade. Falta variedade e conteúdo.

A leitura poderá preencher estas lacunas com meditação e oração diária. Você prejudica a si mesmo em omitir tal prática.

Desprezo à leitura impede alguém de ser um pregador maduro. Até para ser um cristão íntegro é mister a leitura adequada. Queira Deus que começasse logo!

Separe uma parte do dia para este exercício. Assim adquirirá o sabor por aquilo que faltava; o que parece monótono no início se tornará com o tempo um prazer.

Com ou sem disposição leia e ore diariamente. É para a sua própria vida; não existe outro caminho. Faltando isso será para sempre um pregador superficial.

John Wesley

Em 17 de agosto de 1760 em carta a John Trembath

Fonte: Soli Deo Gloria
 

Blogger news

Blogroll

About