19/01/2011

Cinco mitos sobre o inferno - # 3

por Joe Thorn

Mito #3: O Inferno É Temporário.



Entre aquelas pessoas que levam o inferno um pouco mais a sério, às vezes encontramos o mito que o inferno é temporário, e não eterno. O raciocínio é que o inferno é a punição pelos pecados cometidos durante, no máximo, várias décadas e que a justiça não permitiria uma punição eterna para crimes cometidos ao longo do período de uma vida na terra. Depois que a punição for concluída, seja lá o que a punição divina exigir, ou a pessoa será recebida no céu ou será simplesmente aniquilada.

Mas, as Escrituras são bem claras a respeito da natureza eterna do inferno. É um lugar de destruição eterna (2 Timóteo 1:9), punição eterna (Mateus 25:46) e fogo eterno (Mateus 18:8). Não há um programa de libertação para trabalho nem a esperança de uma liberdade condicional no inferno.

Nós fomos criados como seres imortais e viveremos após a morte na presença de Deus e sua graça, ou experimentando sua justa e correta raiva. Como pecadores incuráveis (2 Pedro 2:14) e habituais (1 João 3:8), nós continuamos em nossos pecados, ilegalidade e idolatria até mesmo no inferno – e assim o julgamento continua.

O inferno é um julgamento eterno, e nossa única esperança de escapar de tal maldição é confiando naquele que se tornou maldição por nós (Gálatas 3:13). Aqueles que são unidos a Jesus são libertos da condenação (Romanos 8:1) e encontram a vida eterna (Mateus 25:46).

créditos: iPródigo

Para ver os mitos anteriores acesse: Mito # 1Mito # 2 

3 comentários:

  1. Quer dizer que por algumas décadas de pecado (presumindo que eu só faça coisas ruins, sem pausa para boas ações capazes de redimir parte do que faço) eu teria de passar a eternidade sofrendo no fogo do inferno, sentindo minha pele queimar eternamente, chorando e rangendo dentes? Poxa! Que Deus bom e misericordioso! Esse Deus é realmente um deus de amor!

    PS.: Se eu fosse um satanista sério (Luciferiano), eu seria mais cristão que o papa. E antes de responder, informe-se sobre o que é seriamente o Luciferianismo.

    ResponderExcluir
  2. Caro Leitor,

    Cremos na inerrância das Escrituras. Se você notou, em nossas postagens, não há achismos e muito menos colocações desprovidas de embasamento bíblico. Se você não crê desta forma, entendemos seu posicionamento, muito embora lamentemos o fato.

    Cremos ainda, que somente mediante a fé em Jesus Cristo como único Senhor e Salvador é que as pessoas podem ser perdoadas ou salvas, seja qual for o pecado cometido.

    Isto não quer dizer que desconhecemos o fato de que existem pessoas de bem, honestas, sinceras e de boa conduta entre aqueles que não acreditam em Deus e muito menos em Jesus Cristo.

    O que queremos dizer, é que somos todos pecadores, uns mais, outros menos, uns demasiadamente, outros em oculto, contudo, somente pela confiança no que Jesus Cristo fez por nós, é que poderemos ser aceitos por Deus - e não por méritos ou deméritos pessoais. Neste sentido, acreditamos que fora da fé em Cristo não há salvação, perdão ou reconciliação com Deus.

    Quanta à sua sugestão sobre nos informar-mos sobre luciferianismo, posso lhe afirmar que nosso maior investimento está nas Santas Escrituras e apenas nela. Sola Scriptura

    Que você também possa ser alcançado pela luz do Evangelho e pelo escandaloso amor de Deus, esta é a nosso oração e maior desejo.

    ResponderExcluir
  3. Tenho que admitir que fiquei surpreso com sua resposta em vários aspectos. Começando pelo fato de um comentário meu (intencionalmente agressivo) não ter sido recebido com uma saraivada de insultos. Acredite quando digo que você é um entre poucos em seu credo a agir assim. Isso significa que você chega a refletir sobre as palavras (bíblicas ou não) antes de cuspir o que primeiro vem à mente. Excelente!

    Percebendo sua capacidade de análise, sugiro uma rota diferente da que me descreveu:
    Se a tua religião te faz feliz, te completa e te RELIGA a Deus (que é a intenção original de absolutamente todas as religiões), eu não poderia desejar outra coisa pra ti a não ser conhecimento.

    O exemplo do luciferianismo é (intencionalmente) extremado. Apesar de pregar exatamente as mesmas coisas e com as mesmas palavras de Jesus, o nome de Lúcifer assusta aos cristãos. "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo". Quem disse isso foi a Estrela da Manhã, no textos judaicos (que compõem o antigo testamento bíblico). Estrela da Manhã é um nome dado tanto a Yeshua Ben Yossef (nome verdadeiro de Jesus) como a Lúcifer/Prometeu. É um título dado a pessoas ou personagens iluminados pelo conhecimento.

    Está vendo? Respeito que tenha seu credo, mas tê-lo exclusivamente como fonte de pesquisa pode toldá-lo sobre outras coisas. Conhecimento ilumina áreas cobertas pelo medo e pela ignorância. E garanto: estudar outras culturas não vai te impedir de continuar seguindo tua igreja, mas vai te permitir entender e amar, sem distinção de credos.
    Por exemplo, você entenderia que uma oferenda do candomblé tem o mesmo objetivo que seu jejum ou seu dízimo. Que quando outras religiões falam de sacrifício, elas estão dizendo pra sacrificar nossos defeitos e intenções malignas no altar do pensamento para que sejamos limpos do ego (e não matamos pessoas ou animais, é tudo simbolismo).

    Há tanto a aprender. Já fui cristão antes. MUITO. Hoje tenho mais fé em Deus do que jamais tive e, agora que conheço suas várias faces, sou capaz de amá-lo e admirá-lo mais do que nunca.

    Que você possa ser alcançado pela Luz do conhecimento divino e pelo eterno e imutável amor do Criador. Esta é minha prece para ti.

    ResponderExcluir

 

Blogger news

Blogroll

About