02/01/2011

2011 - O Ano da Leitura!



Por Maurício Arruda


Tenho notado algo em boa parte dos cristãos que conheço que me inspira a escrever este post e deixar uma boa dica para o ano corrente. Sei que o ano de 2011 acabou de sair do forno, mas a hora é essa! Não vamos perder tempo para fazer algo de bom acontecer não é mesmo?!

O que notei e noto em boa parte dos "crentes", é a superficialidade no que se refere ao conhecimento das escrituras, em outras palavras: "a galera não lê a bíblia!!!"

O problema seria menor, a nível cultural, se isto fosse apenas concernente a bíblia, mas não, o hábito de ler, sobretudo do povo de Deus, é considerado muito baixo. Nossa cultura e gosto pela leitura devem crescer e muito, para que os resultados da prática cristã mudem radicalmente, pois apenas desta forma a estatística dos cristãos alienados reduzirá consideravelmente. Quando se tem o hábito de ler, a fé se torna mais sólida, o entendimento mais claro e as fantasias que são criadas na mente, dão lugar a maturidade espiritual. Longe de querer racionalizar a fé cristã, creio que a leitura contribui até na formação do caráter, quer seja religioso ou moral.

Meu incentivo e desejo para 2010 são para que cada um de nós leia assiduamente a bíblia, os livros cristãos, devocionais, sites, blog, etc. Longe dos chavões denominacionais de "ano disso e daquilo", desejo que este ano seja o ano da leitura bíblica.

Vou deixar dois pequenos artigos que falam do hábito de ler e seus reflexos para que sirva de inspiração aos que vão viver um ano de crescimento e de conhecimento. Desta forma haverá mudança e muitos dos assuntos que hoje são desconhecidos por muitos cristãos, poderão ser considerados inerentes.

Primeiro:

O hábito de leitura de Francis Asbury

Em comemoração ao dia mundial do livro gostaria de apresentá-los um leitor voraz. Seu nome é Francis Asbury, considerado "pai do metodismo americano". Este notável cristão, foi responsável pela conversão de milhares de pessoas. Um de seus biógrafos, Wesley Duewel, afirma que quando Asbury chegou da Inglaterra aos Estados Unidos, comissionado por John Wesley no ano de 1784, existiam 1.160 cristãos metodistas, quando morreu 214 mil professavam a fé em Cristo. E para tanto, estima-se que tenha pregado cerca de 17 mil sermões e ordenado mais de 3 mil pastores. Nada mal, hein?

Impressionamente também era seu hábito de leitura. Tinha o costume de ler 60 .000 páginas por ano (imagine que um livro comum tem em média 300 pg.). E se você está imaginando que o camarada Asbury não tinha nada para fazer, então fique sabendo que lia todo esse calhamaço no lombo de um cavalo, enquanto viajava por todo o solo americano (e não era turismo). Na verdade, o segredo estava na sua disciplina. Asbury seguiu a risca a tarefa de ler ao menos 100 páginas por dia e isto tudo há 200 anos atrás, quando não havia as conveniências modernas que desfrutamos hoje.

A rotina de Asbury era impressionante. Durante toda vida ele observou um cronograma rígido, assim como também aconselhou seus pregadores itinerantes a fazer o mesmo. Aprendeu com Wesley. A rotina era assim:

1- Acordar as 4 da manhã, todos os dias;
2- Orar das 4 às cinco e novamente a tarde, das cinco às seis;
3- Ler todos as manhãs, das seis até o meio-dia, como uma hora para o café da manhã, alimentando a mente e a alma com a Bíblia e com bons livros.

E aí, vai encarar?

Rick Nañes, doutor em teologia, fez uma bela análise do hábito de leitura dos proeminentes cristãos do passado. E chega a uma conclusão interessante:

"Não é coincidência o fato de que os mais proeminentes líderes cristãos do passado, os quais auxiliaram a reavivar, revigorar e reformar a igreja errante, foram leitores vorazes. Eles não apenas leram como também expressaram sua convicção de que a leitura é o caminho para ampliar a mente, exercitar o intelecto e focalizar melhor a imagem que se tem da realidade".

*****

Duewel, Wesley. Heróis da vida cristã. p.11-22
Nañez, Rick. Pentecostal de coração e mente. p. 343

Segundo:

O desprezo pela leitura faz mal - John Trembath

O que tem prejudicado a sua vida no passado e, lamento dizer, até hoje, é a sua negligência quanto à leitura. Negligência tal que, por sua vez, chega a prejudicar até o próprio desejo de ler.

Dificilmente me recordo de um pregador que leia tão pouco. Eis a razão porque seu talento em pregar não aumenta. Você continua pregando como pregava há sete anos; com emoção, porém sem profundidade. Falta variedade e conteúdo.

A leitura poderá preencher estas lacunas com meditação e oração diária. Você prejudica a si mesmo em omitir tal prática.

Desprezo à leitura impede alguém de ser um pregador maduro. Até para ser um cristão íntegro é mister a leitura adequada. Queira Deus que começasse logo!

Separe uma parte do dia para este exercício. Assim adquirirá o sabor por aquilo que faltava; o que parece monótono no início se tornará com o tempo um prazer.

Com ou sem disposição leia e ore diariamente. É para a sua própria vida; não existe outro caminho. Faltando isso será para sempre um pregador superficial.

John Wesley

Em 17 de agosto de 1760 em carta a John Trembath

Fonte: Soli Deo Gloria

0 comentários:

Postar um comentário

 

Blogger news

Blogroll

About